11 GRAUS DE FRIO E SAUDADE

Vi_saudade

Domingo ao entardecer. Os últimos pingos de chuva caindo na janela. O dia hoje aqui na Polônia foi frio. Mas impossível descrever a beleza desse céu de outono fugindo do monótono cinza. Mais difícil ainda, é descrever o espetáculo das estações indo e vindo. É o tempo que passa.

Anoitece, e juntamente com as estrelas que surgem no céu, um sentimento ingrato e controverso, acaba por ficar transitando sem saber seu lugar de origem. Saudade não tem precedentes, muito menos casa. Fica largada à sorte em meio a acontecimentos que rezamos para se tornarem inesquecíveis.

Não quero dormir com este sintoma de saudade, te garanto que não é arrependimento, nem culpa. Ouço meus discos velhos quando sinto saudade do entusiasmo do passado. Meus discos antigos sempre me fazem lembrar quem eu sou e porque estou aqui. Quero tentar matar este sentimento, mesmo que temporariamente, mas fechar os olhos lentamente e abrir um sorriso ouvindo a nossa música me condena a sentir a desesperada vontade de puxar você do meu pensamento para junto de nós.

A saudade dói, mas se pararmos para pensar, anestesia. Porque senti-la nos obriga a buscar as lembranças de pessoas que nos fizeram felizes. E por mais que fira, cura. Tem dias que estamos tão vulneráveis ao amor que basta uma foto, uma canção ou uma singela lembrança, para que o coração comece a ficar sufocado.

Sentimos saudades o tempo todo, de diversas maneiras. A mais comum delas é a saudade branda, um vazio quietinho – mas que não nos impede de sermos felizes.

Confesso que hoje estou sentimental além da conta. Mas me perdoa vai, é que o que restou foi a saudade.

Eu não espero que você um dia me perdoe, até porque eu nunca te perdoei. Mas eu sei, que lá no fundo, você também sente a mesma saudade.

 

*Esse texto faz parte da Blogagem feita pelo grupo “Escritores da Era do Compartilhamento”, com o tema: Saudade
*Estão participando do projeto:
*Tatiane Argenta – Saudade  *Leca Lichacovski - Queria te guardar em mim  *Sâmela Faria – A saudade é uma miragem  *Jô Lima - Saudade  *Joany TalonSaudade tem sua beleza  *Nathalia MoraesEu sempre gostei de plurais  *Juliane RodriguesDe repente amor, esperar terminou…  *TacianaA renda e as pedras  *Fernanda ProbstTatuei na pele  *Cristina SouzaDevaneios de uma saudade de domingo  *Pâmela MarquesTraduzo a saudade em forma de você  *Fábio Chap – Tô com saudade dela  *Valter Junior - Saudade é aquilo que  *TayanePôr do sol  *LayneVallenttina  *Fernando Suhet - Entre estrelas e saudades  *Cíntia GomesDe cama vazia – e coração também  *Allison - Aquele “adeus” que mais pareceu “até logo”

 

3 RESPONSES TO “11 GRAUS DE FRIO E SAUDADE

  1. Sâmela Faria says:
    2 de setembro de 2015 at 17:37

    Não pude deixar de lê-la né? Hahaha.
    Encantador!
    E esse trecho?
    “A saudade dói, mas se pararmos para pensar, anestesia. Porque senti-la nos obriga a buscar as lembranças de pessoas que nos fizeram felizes. E por mais que fira, cura. Tem dias que estamos tão vulneráveis ao amor que basta uma foto, uma canção ou uma singela lembrança, para que o coração comece a ficar sufocado.”
    Amei. Parabéns!

  2. […] Argenta; Leca Lichacovski; Sâmela Faria; Jô Lima; Joany Talon; Nathalia Moraes;  Ju Rodrigues;  Tamyhe; Taciana […]

  3. Sobre tudo o que a gente não foi | Estórias pra Contar says:
    3 de setembro de 2015 at 13:13

    […] Sâmela Faria, Joany Talon, Nathalia Cunha, Juliane Rodrigues, Leca Lichacovski, Fernanda Probst, Tamyhe Engler, Cristina Souza, Pâmela Marques, Fábio Chap, Valter Junior, Tayane Sanschrí, Layna Dias, […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *